top of page

Brunetto Latini (c. 1220-1294) foi um literato e político de Florença, dos mais importantes em seu tempo. Conterrâneo e “mestre” de ninguém menos que Dante Alighieri, foi igualmente exilado de sua pátria por razões políticas. É durante o exílio que Brunetto compõe A Retórica, obra em que traduz e comenta minuciosamente trechos do De inventione, do filósofo Marco Túlio Cícero, sobre a arte da retórica. Homem à frente de seu tempo, foi movido por um espírito democratizante que Brunetto se dedicou a traduzir Cícero do latim para o vernáculo florentino, a língua do homem comum, não erudito. Assim, acabou por influenciar o próprio Dante, que depois escreveria algumas de suas principais obras, como a Vida nova, o Convívio e a Comédia, também num registro mais próximo ao vernáculo de sua cidade. Tal como Cícero, Brunetto entende que a retórica deve andar de mãos dadas com a sabedoria, e que apenas líderes dotados de ambas são capazes de conduzir as coisas públicas com discernimento e equidade. A retórica é “a mais importante das ciências do homem, pela sua capacidade de produzir ambientes harmônicos em que prevalece a razão” ― do que se depreende o valor não só histórico, mas civilizatório da presente obra. Esta tradução de Emanuel França de Brito, a primeira feita no Brasil, vem acompanhada de notas e de um alentado estudo introdutório do tradutor, professor de língua e literatura italianas na Universidade Federal Fluminense.

 

Brunetto Latini nasceu em Florença por volta de 1220 e morreu na mesma cidade, em 1294. Literato, tradutor e político, foi notário e chanceler de sua cidade até 1260, quando — em missão diplomática na corte de Afonso X de Castela, “o sábio” — foi impedido de voltar a Florença. Exilou-se então na França até 1266, onde compôs A Retórica em italiano e o Tresor, sua obra enciclopédica, em francês. De volta do exílio, ocupou cargos municipais de destaque, tendo sido um dos fiadores da paz entre guelfos e gibelinos, em 1280, e mais tarde eleito Priore, em 1287. Entre outros textos, é autor do Tesoretto, um poema didático-alegórico incompleto, do Favolello, um poema epistolográfico-moral, e da canção S’eo son distretto inamoratamente. Foi definido pelo importante cronista de sua época, Giovanni Villani, como um “iniciador e mestre em instruir os cidadãos de Florença, torná-los desenvoltos no falar bem e em saber guiar e reger nossa república segundo a Política” (Nuova cronica IX 10). A imagem mais famosa de Brunetto a atravessar os séculos é dada pelos versos de seu célebre discípulo Dante Alighieri, que, no canto XV do Inferno de sua Comédia, lhe atribui o mérito de tê-lo ensinado a reconhecer como o homem transforma sua breve presença neste mundo em uma coisa eterna.

 

Detalhes do produto

  • Editora ‏ : ‎ Editora 34; 1ª edição (3 abril 2023)
  • Idioma ‏ : ‎ Português do Brasil
  • Capa comum ‏ : ‎ 208 páginas
  • ISBN-10 ‏ : ‎ 6555251204
  • ISBN-13 ‏ : ‎ 978-6555251203
  • Dimensões ‏ : ‎ 14 x 2.5 x 21 cm

A Retórica - Brunetto Latini

SKU: 9786555251203
24,00 €Preço