top of page

Uma das principais obras do cânone ocidental, os Cantos de Giacomo Leopardi (1798-1837) compreendem 41 poemas escritos e reescritos pelo autor entre 1816 e 1836. Considerado por Harold Bloom “o maior dos poetas italianos desde Dante e Petrarca”, Leopardi registrou em seus versos ― com uma técnica e uma sensibilidade elogiadas por nomes como Nietzsche, Pound e Beckett ― os aspectos mais significativos da experiência humana, da felicidade agônica provocada pelo amor ao sentimento áspero da natureza madrasta e da nulidade dos nossos esforços. Precedida por uma luminosa introdução à vida e à obra do poeta, a tradução de Álvaro A. Antunes, publicada pela primeira vez em 1985 e revista especialmente para esta edição bilíngue, reproduz fielmente os metros e os esquemas estróficos do original.

 

Giacomo Leopardi nasceu em 1798 no pequeno burgo de Recanati, região das Marcas, na província de Macerata, na Itália. Seu pai, o conde Monaldo Leopardi, reuniu em seu palácio uma biblioteca com aproximadamente vinte mil volumes. Aos dez anos de idade, Giacomo, já então um menino-prodígio, lê com avidez enciclopédica e, sem a ajuda de preceptores, domina o grego e o latim, empenha-se em trabalhos de filologia, compõe obras de erudição, diálogos filosóficos, poemas e traduções de textos clássicos. Com a saúde extremamente frágil e encerrado no palácio da família, por volta de 1815 Giacomo Leopardi começa a se corresponder com literatos de renome ― como Pietro Giordani, por exemplo, que reconhece de imediato o gênio do rapaz ―, e inicia as primeiras anotações de seu Zibaldone, uma miscelânea de reflexões e comentários em registros diversos. Com o sucesso de seus dois primeiros Cantos dedicados à Itália, publicados em 1818, Leopardi finalmente consegue sair da província e viajar a Roma, Milão, Bolonha (onde publica uma edição ampliada dos Cantos em 1824), Ravena, Florença e Pisa. Em Florença encontra o jovem Antonio Ranieri, que será seu amigo mais próximo nos últimos sete anos de vida. Em 1834 ambos decidem ir a Nápoles e morar numa casa emprestada nas encostas do Vesúvio. Em Nápoles publica uma versão quase completa dos Cantos em 1835, escreve os poemas “A giesta” e “O pôr da lua”, e, quase cego e praticamente inválido, vem a falecer em 1837, aos 38 anos de idade.

Álvaro A. Antunes Fernandes nasceu em 1953 em Além Paraíba, MG. Por quinze anos, viveu e trabalhou em São Paulo e no Rio de Janeiro na indústria informática. Nos anos 1980 foi um dos fundadores da Interior Edições, para a qual traduziu Os papéis de Aspern, de Henry James (1984), A caça ao turpente, de Lewis Carroll (1984) e os Cantos, de Leopardi (1985). Em 1984 graduou-se em Economia no Rio de Janeiro, e depois concluiu o mestrado em inteligência artificial (1990) e o doutorado em ciência da computação (1995) em Edimburgo, na Escócia. Viveu no Reino Unido nos últimos trinta anos, onde, na área da ciência da computação, foi pesquisador na Heriot-Watt University, em Edimburgo, professor no Goldsmiths College da Universidade de Londres, e, por vinte anos, professor na Universidade de Manchester, onde se aposentou em 2018. Desde então vive em Buxton, Derbyshire, dedicando-se à tradução e aos estudos literários.

 

Detalhes do produto

  • Editora ‏ : ‎ Editora 34; 1ª edição (4 novembro 2021)
  • Idioma ‏ : ‎ Português do Brasil
  • Capa comum ‏ : ‎ 384 páginas
  • ISBN-10 ‏ : ‎ 6555250860
  • ISBN-13 ‏ : ‎ 978-6555250862
  • Dimensões ‏ : ‎ 16 x 2.5 x 23 cm

Cantos - Giacomo Leopardi

SKU: 9786555250862
33,00 €Preço