top of page

Palmares foi o maior e mais duradouro assentamento de fugitivos da história da escravidão no Brasil. Os mocambos, como eram chamados, formaram-se no início do século XVII nas matas do sul de Pernambuco e resistiram até as primeiras décadas do século XVIII. Seu líder mais famoso, Zumbi, tornou-se símbolo das lutas pela liberdade no Brasil. Apesar da importância dos Palmares, os documentos sobre sua história ainda são pouco estudados. A principal fonte utilizada pelos historiadores é um texto conhecido como “Relação das guerras feitas aos Palmares de Pernambuco”. Escrita para enaltecer o governador, a descrição do conflito é precedida por informações sobre a história dos Palmares e da rede de mocambos que ali havia se formado. A narrativa termina com o acordo de paz negociado entre uma embaixada palmarista e as autoridades pernambucanas. Em 1859, uma cópia desse documento foi publicada sem nenhuma informação sobre sua autoria, data de produção ou localização do original, e poucos se interessaram em saber mais. "Guerra contra Palmares: o manuscrito de 1678" é o resultado de anos de pesquisa da historiadora Silvia Hunold Lara e do filólogo Phablo Roberto Marchis Fachin, e traz a transcrição das duas versões seiscentistas desse documento: a da Biblioteca de Évora e a do Arquivo da Torre do Tombo, cuja descoberta permitiu corrigir erros e lacunas da versão de 1859. Unindo filologia e história, o livro analisa o contexto em que o documento foi escrito, fundamenta a atribuição de sua autoria ao padre Antônio da Silva, e discute como esse texto foi lido e interpretado pelos historiadores nos séculos XIX e XX. "Guerra contra Palmares: o manuscrito de 1678" contém ainda catorze documentos inéditos que oferecem uma narrativa alternativa dos acontecimentos retratados.

 

Silvia Hunold Lara é professora colaboradora do Departamento de História da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Pesquisadora da história da escravidão no Brasil nos séculos XVII e XVIII e da história social do direito no Brasil colonial, publicou "Campos da violência" (Paz e Terra, 1988), "Fragmentos setecentistas" (Companhia das Letras, 2007) e, com Joseli Mendonça, organizou "Direitos e justiças no Brasil" (Editora da Unicamp, 2006), entre outros livros e artigos.

Phablo Roberto Marchis Fachin é professor do Departamento de Letras Clássicas e Vernáculas da Universidade de São Paulo (USP). Pesquisador nas áreas de filologia, paleografia e história da língua portuguesa, publicou "Descaminhos e dificuldades: leituras de manuscritos do século XVIII" (Trilhas Urbanas, 2008) e, com Heitor Megale e Sílvio de Almeida Toledo Neto, organizou "Por Rumos da Agulha, documentos do ouro do século XVIII" (Editora Cubo, 2015), entre outros livros e artigos.

 

Detalhes do produto

  • Editora ‏ : ‎ Chão Editora
  • 1ª edição (18 junho 2021)
  • Idioma ‏ : ‎ Português do Brasil
  • Capa comum ‏ : ‎ 232 páginas
  • ISBN-13 ‏ : ‎ 978-6599012259
  • Dimensões ‏ : ‎ 15 x 0.14 x 21 cm

Guerra contra Palmares: O manuscrito de 1678 - Silvia Hunold Lara

SKU: 9786599012259
31,00 €Preço